Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2018

Petit poème en prose

Imagem
O Crepúsculo da Alma

A noite vai-se arrastando e vai desfilando languidamente por cima das nossas cabeças. Qual mulher parisiense perfumada e ornamentada, a noite vai refrescando o ar rebentado de calor e faz entrar a brisa neste apartamento onde me abafo até ao Infinito. O dia de sol, belo e brilhante, causa-me desconforto, pois vivo em paradoxo. Amo o sol, amo as claridades e, no entanto, elas ferem-me, entram-me nos olhos com o poder de um tirano e arrancam a minha disposição. Vivo para as claridades porque fujo delas e as procuro em simultâneo. Tento escapar ao calor que tolhe, abate, faz ranger os nervos e magoa a alma, mas ninguém escapa às garras dele. O suor cai pelo corpo abaixo, a energia esmorece, a calçada brilha de loucura solar.   Tudo isto tem implicações nesta vida de afazeres da utilidade burguesa contemporânea, em cuja sociedade nos integramos. Movidos pelo ideal (talvez) nobre da eficácia, enfiamo-nos em edifícios que se alargam com o calor e que pedem leques a toda …