Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2017
Imagem
Apelo à Humanidade
  Sinto saudades de escrever. Sinto saudades porque só quando escrevo é que sinto, isto é, só quando escrevo é que sinto pura e verdadeiramente. É por isso que escrevo e talvez seja por isso que parto: preciso de fugir para sentir, para sentir uma espécie de acalmia ou de plenitude.   Parto e entro na grande cidade, onde os prédios se erguem até ao céu ora em cores desmaiadas e mortas ora revestidos de ferro e de vidro brilhantes. Nesta cidade onde os bairros se desenham por contraste. Uns são belos, salutares, onde a classe média se enfia ao fim de um dia de trabalho, procurando o bem-estar há tanto desejado. Outros estão cheios de cores mortas, tanto nas casas como no chão. Bairros onde só se apinha gente que não tem outro sítio para se apinhar. Bairros ora sujos ora apenas degradados, onde tudo esmorece e a estética citadina procura novos contornos e definições.


  Sinto-me a percorrer estas grandes avenidas, a procurar conforto na zona da marginal, a deleitar-me no…