Reflexões

E a Vida



E a Vida pesa
E custa
E esmaga-me!

Mas afinal vejo que não.
Sou eu, tenho energia!
Há apenas um senão
Este cansaço tira-me a alegria.

E o objetivo continua cá
E a vontade de viver.
Mas custa tanto
Não encontrar um encanto!

E serei mesmo eu?
Estou a debitar sem forças...
Não posso ser eu!

Eu sou quando não estou assim.
Sou mais eu quando o dia diz sim.
Quando a idealização é o único fim!

Mas agora, deixei de ser eu?
Por ter mudado o meu céu?
Continuo o mesmo. A mudança
Não existe exatamente...

Nada traz resultado,
Mas tudo me completa.
Tudo me ajuda
Tudo me diz que consigo ser um atleta!

Quero correr a maratona,
Voar livre enfim.
Acabar com esta vida mazona
E ser quem eu realmente sou, sim!

Quero ser livre,
De uma liberdade desmedida
E dizer que me sinto
Sem qualquer minto.

Ser feliz até rebentar.
Viver até acabar.
Sentir cansaço e frustração
Como algo belo e não como um senão!

Serei eu aí, então?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Monet, luzes e ação

Short story

Petit poème en prose